Dia Nacional de Combate à Hipertensão Arterial levanta reflexão sobre escolhas alimentares na prevenção da doença


 

Pressão ArterialSilenciosa e imprevisível — podendo atingir até adolescentes —, a hipertensão arterial, conhecida popularmente como pressão alta, atinge cerca de 30% da população brasileira e é responsável por 40% dos enfartes, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal, segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH).

Nesta terça-feira (26/4), Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, o cardiologista e diretor médico do Método Ravenna lembra que Um dos principais fatores que ocasionam a hipertensão arterial está associado à má alimentação e ao sedentarismo. A ausência de uma atividade física regular e o consumo elevado de sal nos alimentos elevam a pressão arterial. Ele realça que o controle do peso é fundamental para manter uma pressão arterial normal.

“A gordura no corpo libera substâncias que estão nas vísceras e que vão para corrente sanguínea, fazendo com que a pressão acelere”, diz o médico. Ele ainda alerta que alimentos que possuem sódio (ou sal) são prejudiciais à saúde. “É preciso evitar colocar sal na comida, na preparação dos alimentos. É necessário também evitar alimentos que contêm conservantes, pois eles são feitos a base de sódio”, orienta Dr. Marcos Barojas. Além do aumento do peso e o sedentarismo, o estresse e a idade avançada são fatores que podem ocasionar a hipertensão arterial.

Existem diversas maneiras, porém, de se controlar a pressão alta. A depender do histórico de cada paciente, dois tratamentos podem ser indicados: o não medicamentoso e o medicamentoso. Para Barojas, “modificar o hábito alimentar, comer menos e melhor, evitar quantidades excessivas de sal e fazer atividade física aceleram o metabolismo e contribuem para manter uma pressão arterial saudável”. Já o tratamento medicamentoso inclui sete classes diferentes de medicação e cada caso é um caso. “É difícil hoje em dia você ver uma pressão alta sem controle, mas um bom começo pode ser na mesa”, complementa Barojas.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *