Pesquisa mostra que sobrepeso e obesidade continuam crescendo na América Latina e Caribe


Com impacto maior entre as mulheres e tendência de crescimento entre as crianças, a obesidade e o sobrepeso seguem crescendo no Brasil, assim como em toda América Latina e Caribe.

INFOMUNDO_corretoPor detrás dos números, uma mudança clara do padrão de consumo: muitas famílias têm deixado de comer pratos tradicionais e aumentado a ingestão de alimentos ultra-processados.

O sobrepeso chegou a 54% dos adultos brasileiros em 2014, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde). Mulheres sofrem mais, enquanto 7,3 das crianças menores de 5 anos já convivem com o problema. O impacto na saúde é grande. Uma saída é a educação nutricional, com advertências sobre alimentos ricos em sal, gordura e açúcar

A situação gera impactos importantes na saúde e deve ocupar cada vez mais a pauta dos governos.

FONTE DA PESQUISA: Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) + Organização Panamericana de Saúde JAN 2017

 

Compartilhe


Uma grande pessoa ou um grande feito?


                                Uma grande pessoa ou um grande feito?

Por: Ricardo Guedeville (psicólogo do Método Ravenna – Clínica Salvador)

“Os homens poderiam ser bem melhores se não quisessem ser tão bons.” Esta foi uma frase que jamais esqueci desde que tive contato. Ela é de autoria do pai da Psicanálise, o Sigmund Freud, o mesmo que quando questionado se ele se achava um grande homem ele não hesitou: “não me considero um grande homem, mas aquele que fez uma grande descoberta”. Frase certeira e de muitas verdades. Explico o porquê. Para ser uma grande pessoa (um grande Homem ou Mulher) é necessário muita coisa. Mas uma é indispensável e não pode faltar como dica em nenhum livro de auto-ajuda: a ilusão. É esta que nos dá uma cegueira suficiente para não vermos determinados aspectos da nossa personalidade que convenhamos, não teríamos orgulho e faltaria espaço para expor no Instagram.

http://www.dreamstime.com/royalty-free-stock-photos-businessman-surrounded-flying-papers-blank-image41058338

Sim, somos em nosso íntimo mais mesquinhos, invejosos (etc e tal…melhor parar por aí) do que gostaríamos. Somente uma pessoa que não se conhece o suficiente para “se achar” um grande ser humano. Já sei que vai ter gente reclamando (os de autoestima baixa) que não é por aí, que não fale assim de mim não. Mas é bobagem, e lutar para negar isso só confirma a tese.

Fazer algo notável, por sua vez, tem certa grandiosidade. Feitos diferenciados, além de “beneficiar” a própria pessoa que fez, ainda inspira a sociedade no sentido de fazê-la acordar para a sua preguiça ou pelo menos por fim às queixas infindáveis. Uma observação – as aspas em beneficiar são porque não se pode garantir que esta empreitada só vai ter alegrias para a quem a realiza. Mas, o mais importante é que feitos grandiosos podem ser feitos por pessoas não grandiosas, pessoas falíveis, inconstantes, ou seja, gente como você e eu. E se falharmos isso tem muito menos a ver com a nossa pessoa do que com certos desejos que entram pelas janelas e chegam esvoaçando e bagunçando todos os
papeis na nossa sala. Estes desejos, da mesma maneira que vieram, se vão.

Em suma, separar a pessoa dos seus feitos é colocar os holofotes no lugar certo. Se os nossos papeis só vivem indo ao chão talvez seja hora de pedir ajuda. Se isto ocorre eventualmente não cabe se angustiar e muito menos se culpar. É burrice querer poder parar o Vento. A outra pessoa, cujos papeis ainda estão no mesmo lugar, talvez só tenha sido mais esperta. Ela não abriu as janelas naquele dia.

 

Compartilhe


Humanos sim, incapazes não


Por: Ricardo Guedeville (psicólogo do Método Ravenna)

Emagrecer não é fácil, correto? Ou você está ou não está fazendo uma restrição alimentar. Quando nos propomos a investir num projeto de emagrecimento podemos estar nele de diferentes formas. Todas as maneiras podem ser válidas no sentido em que são escolhas as quais nos propomos. Contudo, precisamos estar conscientes destas escolhas e de suas consequências.
WhatsApp Image 2016-08-08 at 16.29.59Emagrecer pode ser uma decisão radical no sentido de mudança de vida. Ainda mais quando se trata de obesidade. Se você pouco mudar sua alimentação, ainda assim irá emagrecer. Mas quem pouco muda a alimentação (e outras coisas) pouco emagrece. Não porque emagrecer muito e num tempo razoável seja impossível, porém se deve ao fato de que a balança reflete a sua escolha.

O discurso de uma dieta que se permita a saídas frequentes pode muitas vezes ser racionalizada pelo discurso de quem é contra “radicalismos”. Penso que há um equívoco aí. Nesse sentido pode ser muito importante separar Radicalismo, de Foco. Quem se dá ao direito de sair da dieta antes da hora pode estar sendo radical. Radical em não mudar o seu estilo de vida, em nunca dizer não. Radical em nunca se dar o direito de faltar a um evento familiar ou de mudar a maneira como estará lá. O radicalismo pode aparecer nas sutilezas do que imaginamos ser a nossa flexibilidade.

Em um tratamento de emagrecimento não devemos ser radicais, pois isso pode aumentar a nossa ansiedade e, se algum dia “vacilarmos”, pode ser o suficiente para nos culparmos, negando nossa condição humana enquanto pessoas que PODEM falhar. Mas “PODER” falhar NÃO significa que IREMOS falhar.

Para cumprir um projeto de emagrecimento o ideal é que tenhamos FOCO, ou seja, que sejamos atentos, rigorosos, flexíveis em adaptar a nossa vida às nossas PRIORIDADES em emagrecer. Nesse caso, as falhas se existirem serão acolhidas, mas não previstas ou desejadas. Uma coisa é se perdoar pelos erros que não foram possíveis de se prever. Outra coisa é ter a certeza de que vai falhar, contar com isso e acabar fazendo menos do que poderia. A primeira trata-se de um gesto de humanidade e maturidade. A segunda pode ser a expressão de uma crença de incapacidade ou um desejo de ganhar sem querer pagar o preço que isso requer.

Humanos sim, incapazes não.

alvo_Agosto_BLOG

Compartilhe


FLUXO INTESTINAL & EMAGRECIMENTO


Os povos orientais sempre acreditaram que todas as doenças começam no intestino, e este saber milenar vem a cada dia se confirmando na literatura atual. Existe uma relação fundamental entre o intestino e a saúde geral, que influencia inclusive o processo de emagrecimento.

mamãoQuando o intestino está preguiçoso (mais de dois dias sem evacuação ou presença de ressecamento nas fezes) é necessário tomar algumas medidas para que o emagrecimento não seja prejudicado. Intestino preso implica em fezes acumuladas neste órgão e, consequentemente,estagnação ou aumento do peso pelo volume das fezes.

Seguem abaixo algumas recomendações para auxiliar o funcionamento intestinal e evitar a redução de peso insatisfatória:

O que fazer?

*Mastigar bem os alimentos. É necessário triturar bem os alimentos para facilitar a digestão e absorção dos nutrientes;

*Comer frutas laxantes (manga, mamão, laranja e tangerina com o bagaço, ameixa, abacaxi, kiwi) dentro das opções de asteriscos da nossa dieta;.

copo_de_agua*Beber muito líquido (2 litros de água + 1 litro de outros líquidos);

* Coloque de molho 3 a 4 ameixas em 250 ml de água por uma noite. Ao acordar, em jejum, beba a água e dispense as ameixas;

*Usar chá de hortelã que aumenta os movimentos do intestino, facilitando a propulsão das fezes;

*Usar 2 colheres de chá (10g) /dia de  chia e/ou linhaça no iogurte ou  na vitamina ou na fruta.

O que não fazer?

Evitar o consumo de banana, maçã sem casca, maracujá, pêssego, cenoura cozida, chuchu e beterraba cozidos;

Excesso de refeições lácteas;

Não usar remédios laxantes.

Compartilhe


Eu não sei se eu mudei ou mudou o São João


Por Ricardo Guedeville, psicólogo do Método Ravenna

Época de festa, São João chegando e quem vai querer ficar de fora dessa festa se não for por um bom motivo? Quem sofre de Obesidade e está engajado a emagrecer pode, em épocas de festas, desejar ficar distante desses eventos. Esse desejo, que se transforma em muitos casos numa escolha, é motivo de estranhamento por parte de quem convive, mas é possível compreender.

pensandoOs ambientes festivos são o “calo” de muita gente que busca emagrecer. É muita estimulação por todos os lados adentrando por nossos sentidos. Se não existe a FOME ainda tem que se virar com a VONTADE de comer. E não é só isso. Os nossos vínculos (alguns antigos) nos convidam a comemorar aquele singular encontro. Tudo isso regado a muita comida e bebida. Difícil resistir.

Quando ouço de alguns pacientes as descrições do que lhe aguardam lá nos seus eventos familiares, eu fico algumas vezes com vontade de perguntar – “E você vai?” Ele trata logo de reagir “E tem jeito? Vou me tornar um anti-social?” Nessa hora costumo lembrar-lhes que a distância é da comida e não das pessoas (pelo menos não necessariamente). “E é só esse ano” – insisto.

 

Talvez a nossa maior dificuldade não seja saber resistir e sim saber ESPERAR. Não sabemos esperar a hora de começarmos a nos permitir. Afinal não é para qualquer um passar por uma festa dessas sem sair das suas metas. É preciso muito planejamento, foco e convicção do que se quer. E isso a maioria não tem.

 

Dessa forma é importante respeitar o seu momento. Talvez mais que isso. É respeitar o teu projeto, nesse caso, o de emagrecimento. Que este consiga ser levado a cabo independente do momento e de alguns pesos já eliminados. Fazer isto é construir um projeto com começo meio e fim. Claro que para alguns é possível estar nesses ambientes, mas para muitos não é assim que funciona. Se eu me vejo nesse momento, o melhor é assumir. Isso, ao contrário do que se pensa que seria um sinal de fraqueza, exige força e personalidade.

 

fogueiraQue o São João de 2016 seja diferente para quem quer uma vida diferente (óbvio não?) e que nossas escolhas reflitam, antes de mais nada, como estamos e como desejamos estar. Só não botemos a culpa na festa depois. Afinal muitas pessoas já saem da dieta no momento que escolhem ir. Radicalismo ou Realidade? Só depende de você.

Bom São João!

Compartilhe


Rótulos Nutricionais: Você sabe o que está comendo?


Por Thaís Rosa (Nutricionista do Método Ravenna)

 

informaes_nutricionaisNão é nada fácil decifrar os rótulos nutricionais dos produtos que consumimos e levamos para nossas casas. Inúmeras informações e nomenclaturas são, muitas vezes, incompreensíveis.

Porém, entender os rótulos nutricionais é importante para determinar um consumo consciente dos alimentos, auxiliando na decisão da compra.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é o órgão responsável pela regulação da rotulagem de alimentos. Ela estabelece as informações que um rótulo deve conter, visando à garantia de qualidade do produto e à saúde do consumidor.

Todos os alimentos e bebidas produzidos, comercializados e embalados na ausência do cliente, tem a rotulagem condição obrigatória para venda. Em alimentos como água, bebida alcoólica, frutas, ervas, vegetais, carnes in natura, sal e alimentos expostos ao consumo, como em restaurantes, a rotulagem passa a ser opcional.

Fiquem atentos para alguns critérios que podem te apoiar na hora de verificar o rótulo nutricional:

  • Porção

É a quantidade média do alimento que deve ser usualmente consumida por pessoas sadias, promovendo a alimentação saudável.

  • Medida Caseira

Indica a medida normalmente utilizada pelo consumidor para medir alimentos. Por exemplo: fatias, unidades, pote, xícaras, copos, colheres de sopa.

  • %VD

Percentual de Valores Diários (% VD) é um número em percentual que indica o quanto o produto em questão apresenta de energia e nutrientes em relação a uma dieta 2000 calorias.

  • Ingredientes

Informa os ingredientes que compõem o produto. São apresentados em ordem decrescente de quantidade, isto é, os primeiros estão sempre em maior volume.

Essas são algumas informações que podem apoiar o entendimento dos rótulo de alimentos, entre outros dados como, por exemplo, o prazo de validade.

BÔNUS: Qual a diferença entre um alimento “Diet” e “Light” ?

“Diet”: Também podem ser apresentados como “Zero”. São produtos que apresentam na sua composição quantidades insignificantes ou são totalmente isentos de algum nutriente.

“Light”: São os produtos que apresentam a quantidade de algum nutriente ou valor energético reduzida quando comparado ao alimento convencional. Para um produto ser considerado Light, a redução deve ser de pelo menos 25% .

Os itens excluídos ou reduzidos na sua maioria são calorias, gordura, açúcar ou sal.

 

Compartilhe


Mãe é tudo igual – por Ricardo Guedeville


mulherInvisivel

Será? Em mais um dia das mães aproveito para cuidar destas que vivem da difícil arte de cuidar de um outro. Trata-se então de cuidar do cuidador. Nada mais justo, pois penso que ser cuidador numa sociedade exigente, complexa e complicada como a nossa não está nada fácil. Podemos dizer então que exercer a maternidade virou uma questão de saúde.

Em 2003, a animação da Pixar chamada Os Incríveis trouxe numa boa metáfora a personagem Mulher Elástico: Heroína e mãe. Não havia melhor símbolo por duas razões. Primeiramente não é só o Pai que pode ser considerado um herói. Segundo quanto a elasticidade do seu poder. Quantas mães desejariam esse atributo para dar conta de todas as demandas que lhe chegam? E o mundo que têm para salvar a cada dia cresce.

Na verdade problemas sempre existiram. O que é novo é a cobrança ou melhor o nosso desejo de sermos “Super”. Temos tantos livros ensinando maneiras de educar os filhos para estes serem vencedores. Verdadeiros manuais. Além do objetivo estar equivocado isso também faz com que tantos pais estejam sempre sentindo que não são bons o suficiente.

Lembro-me agora de uma mãe arrasada porque não sabia brincar de boneca com a sua filha. Quando perguntei a mesma se ela brincava com a filha ela disse que não tinha melhor pessoa para ler historias do que ela. A própria filha lhe disse isto. Tenho certeza que esta filha poderá lembrar dela não por aquilo que falta e sim pela sua diferença, pela sua marca.

Dessa forma não é uma má ideia tentar desistir de ser TUDO para o seu filho. Aquela que busca isso no íntimo acredita que de fato é ou um dia será Super. Talvez seja mais realista ser “apenas” você. Com seus recursos e com suas faltas. Pois essa coisa de ser tudo é só mais um excesso a que a gente se propõe em nossa era. Assim a vida fica pesada. A gente inclusive pode ficar literalmente muito pesado. Que suportemos mais as nossas faltas e comemoremos mais a nossa diferença. Feliz dia da Mãe que você é!

Compartilhe


Dia Nacional de Combate à Hipertensão Arterial levanta reflexão sobre escolhas alimentares na prevenção da doença


 

Pressão ArterialSilenciosa e imprevisível — podendo atingir até adolescentes —, a hipertensão arterial, conhecida popularmente como pressão alta, atinge cerca de 30% da população brasileira e é responsável por 40% dos enfartes, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal, segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH).

Nesta terça-feira (26/4), Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, o cardiologista e diretor médico do Método Ravenna lembra que Um dos principais fatores que ocasionam a hipertensão arterial está associado à má alimentação e ao sedentarismo. A ausência de uma atividade física regular e o consumo elevado de sal nos alimentos elevam a pressão arterial. Ele realça que o controle do peso é fundamental para manter uma pressão arterial normal.

“A gordura no corpo libera substâncias que estão nas vísceras e que vão para corrente sanguínea, fazendo com que a pressão acelere”, diz o médico. Ele ainda alerta que alimentos que possuem sódio (ou sal) são prejudiciais à saúde. “É preciso evitar colocar sal na comida, na preparação dos alimentos. É necessário também evitar alimentos que contêm conservantes, pois eles são feitos a base de sódio”, orienta Dr. Marcos Barojas. Além do aumento do peso e o sedentarismo, o estresse e a idade avançada são fatores que podem ocasionar a hipertensão arterial.

Existem diversas maneiras, porém, de se controlar a pressão alta. A depender do histórico de cada paciente, dois tratamentos podem ser indicados: o não medicamentoso e o medicamentoso. Para Barojas, “modificar o hábito alimentar, comer menos e melhor, evitar quantidades excessivas de sal e fazer atividade física aceleram o metabolismo e contribuem para manter uma pressão arterial saudável”. Já o tratamento medicamentoso inclui sete classes diferentes de medicação e cada caso é um caso. “É difícil hoje em dia você ver uma pressão alta sem controle, mas um bom começo pode ser na mesa”, complementa Barojas.

Compartilhe


Álcool: um vilão do emagrecimento


Ísis Lima é nutricionista do Método Ravenna

Ísis Lima é nutricionista do Método Ravenna

Muitas pessoas relatam que ao pararem de consumir bebidas alcoólicas perdem peso. Ao mesmo tempo sentem dificuldade de emagrecer quando bebem álcool. Porque isso acontece?

O álcool fornece calorias, assim como a proteína, o carboidrato e o lipídio, e não são poucas. Cada 1g de álcool tem 7 kcal. Logo o seu uso contribui significativamente para o consumo energético total diário. Um shot de cachaça (40 ml), por exemplo, contém uma média de 100 kcal. Uma lata de cerveja, por volta de 140 kcal. O problema é que, além do valor calórico, dificilmente uma pessoa seria capaz de limitar o consumo de cerveja.

Outra consideração importante é que, normalmente, o álcool não vem sozinho. Ele normalmente vem acompanhado de petiscos, os quais, no geral, são também bem calóricos.

Além do alto teor calórico, o álcool é considerado uma toxina pelo nosso organismo, portanto o corpo  trabalha para elimina-ló, e esta energia despendida neste processo deixa de ser utilizada para a queima de gordura, dificultando a eliminação de peso.

A mentiroska, receita do Método Ravenna, é uma excelente alternativa para que a pessoa em dieta se sinta integrada ao ambiente festivo

A mentiroska, receita do Método Ravenna, é uma excelente alternativa para que a pessoa em dieta se sinta integrada ao ambiente festivo

No tratamento Ravenna, além do corte do consumo etílico durante o emagrecimento, uma excelente estratégia para substituir o consumo de bebidas alcoólicas é a mentiroska. A receita é muito simples: 50 gramas de frutas+ bebida gaseficada com sabor neutro + hortelã para decorar.

 

Compartilhe


Caminhada pode fazer maravilhas para o estado de ânimo


Caminhar é uma das atividades mais recomendadas por todas as pessoas. Está deprimido? Caminhe. Está com sobrepeso? Caminhe. Está estressado? Caminhe.

caminhada20acontece13Mas mais que sabedoria popular, um estudo científico realizado por Gregory Bratman, da Universidade de Stanford, demonstrou que uma caminhada pode fazer maravilhas para o seu estado de ânimo, sua saúde e o seu cérebro.

A investigação levou um grupo de pessoas para caminhar por um lugar com árvores e tranquilidade, sem música ou qualquer distração, enquanto outro grupo caminhou nas mesmas condições, mas na cidade. Após a caminhada, os voluntários foram para o laboratório para responder um questionário e se submeter a uma tomografia no cérebro.

O objetivo foi determinar os níveis de felicidade e atenção após o exercício.

Aqueles que andaram ao longo da cidade tiveram grandes mudanças em seu humor, mas aqueles que caminharam na natureza demonstraram melhorias na saúde mental. Isso se refletiu em um fluxo de sangue mais baixo no córtex pré-frontal, a parte do cérebro responsável pelo tratamento de pensamentos repetitivos ou emoções negativas.

As pessoas que caminharam na cidade mantiveram o fluxo sanguíneo nessa área. Conclui-se que é melhor para o seu cérebro e suas emoções a caminhada na natureza.

E o bom é que para ter estes benefícios, você não precisa planejar uma viagem para as montanhas ou à praia, apenas dar um passeio de cerca de quinze minutos em qualquer praça ou parque rodeado por árvores, sem música ou distrações, concentrando-se apenas no que o rodeia.

caminhada-benefíciosCAMINHE MAIS E MELHOR

Bratman com seu estudo mostrou que uma caminhada no lugar certo é o suficiente para melhorar a saúde mental, já que a atividade ajuda a alcançar um estado de relaxamento e tranquilidade. Sendo assim, a caminhada pode ser considerada quase uma cura milagrosa para levantar o ânimo e limpar a mente de pensamentos negativos.

É a oportunidade de relaxar e desconectar dos problemas cotidianos.

10 BENEFÍCIOS DA CAMINHADA:

  1. Melhora a circulação
  2. Deixa o pulmão mais eficient
  3. Combate a osteoporos
  4. Afasta a depressão
  5. Aumenta a sensação de bem-estar
  6. Deixa o cérebro mais saudável
  7. Diminui a sonolência
  8. Mantém o peso em equilíbrio e emagrece
  9. Controla a vontade de comer
  10. Protege contra derrames e infartos

 

 

Compartilhe